domingo , dezembro 16 2018
Home / Artigos / Antoun Saadeh: o conceito evolutivo de surgimento da espécie humana

Antoun Saadeh: o conceito evolutivo de surgimento da espécie humana

 Antoun Saadeh: o conceito evolutivo de surgimento da espécie humana

O autor do livro ”Gênese das Nações “o sociólogo sírio Antoun Saadeh disse que:“… após a exame e conhecimento de um assunto, podemos chegar a formar uma opinião sobre o assunto em questão. Assim não deixamos nenhum espaço ou motivo para uma confusão. “…  em vista disto, podemos, ao ler e analisar, cuidadosamente, o livro de Saadeh, perceber que a primeira característica que chama a nossa atenção, é o estilo ou o método cientifico baseado na lógica, na pesquisa cientifica, nas investigações aprofundadas, perseverança e paciência em lançar luz sobre a realidade das coisas do estudo através de uma mente aberta que ajudou o autor a elaborar e formular seu livro que é uma necessidade urgente e indispensável para aqueles que procuram compreender a realidade social da melhor maneira possível .

A obra de Saadeh ““ Gênese das Nações”, então, é um livro de categoria que merece ser lido e analisado seriamente e com a máxima atenção, cuidado e devido interesse porque a referida obra é um estudo sociológico cujo objetivo como disse o autor em sua introdução:” … é explicar a realidade social humana em seus estágios, circunstancias e natureza. “(p.23), acrescentando que a Gênese das nações “…é um trabalho sociológico puramente cientifico, no qual eu evitei, tanto quanto possível, as interpretações, as conclusões teóricas e todas as formas de filosofia. (p 26) . Ele declarou também que o livro acima mencionado foi feito e elaborado para ser considerado como base essencial sobre a qual poderá estabelecer o movimento despertador nacional, dizendo:“… em função da

 

2

 

urgente necessidade de uma base cientifica para o renascimento nacional, decidi entregar o único manuscrito para imprimir na sua versão original…“(’p. 27)

Com base no exposto, concluímos que Saadeh teve que preparar sua obra não é para satisfazer desejos pessoais, nem para ganhar dinheiro e não também para ter uma reputação de um escritor famoso, mas ele preparou e elaborou tal obra a fim de ser uma base cientifica para o renascimento nacional .

A partir da introdução, Saadeh esclarece que o trabalho foi preparado em dois volumes por causa de um propósito explicito a fim de ser uma base cientifica de um movimento renovador da nação como ele explicou claramente na sua introdução dizendo: “O livro um, estuda a definição de nação , a maneira na qual ela se forma, seu lugar no curso do desenvolvimento humano e suas relações com as manifestações da vida em sociedade, enquanto o livro dois, trata do assunto da formação da nação Síria, seu lugar no curso do desenvolvimento humano e suas relações com as outras nações e suas tendências em geral. (p.27- 28). Os materiais do livro dois foram apreendidos pelas autoridades francesas e os documentos foram confiscados durante a segunda onda de detenções no verão de 1936. E ainda tais materiais continuam confiscados .

Entendemos, através da introdução do livro, que o propósito final de Saadeh é a preparação de estabelecer base sólida para um renascimento nacional tanto para sua nação quanto a outras, procurando esclarecer, o máximo possível, os fatos de associação

 

3

 

humana a fim de entender melhor as realidades das nações e nacionalismos.   

Se acompanharmos e seguirmos os textos de Sadeeh capitulo após capitulo, constatamos que o livro estuda e examina o surgimento da espécie humana, acompanhando o desenvolvimento da humanidade em todos os estágios de sua evolução, em todas as épocas e em diversos aspectos materiais e espirituais. Analisando, discutindo e criticando as interpretações, as teorias e concepções:religiosas, cientificas, raciais, sociais, econômicas, políticas e sociológicas de muitos cientistas e estudiosos que trataram o assunto em questão e em vários países e diversos idiomas procurando dar uma explicação mais evidente e baseada em provas reais e praticas .

Saadeh começou o livro, no primeiro capítulo, com o assunto mais importante e mais grave que enfrentou a humanidade e ficou sem resposta definitiva desde o inicio da história humana até os nossos próprios dias e continuará, a nosso ver, sem resposta convincente até o fim da história das gerações humanas sobre o planeta Terra. Este assunto importante e grave, sem duvida, é : “o surgimento da espécie humana”. (p. 29) e que foi o titulo do primeiro capitulo .

Saadeh apresenta duas abordagens ou dois métodos para interpretar o acontecimento de surgimento da espécie humana: o primeiro se baseia na interpretação religiosa e o segundo com base na interpretação cientifica. As duas interpretações são amplamente conhecidas de todos os povos do mundo .

 

4

 

Constatamos, através das duas interpretações, uma importante observação que é a de que Antoun Saadeh não procurou fazer uma comparação entre a ciência e a religião, mas sim uma distinção entre a abordagem adotada pelos cleros e da metodologia da ciência adotada pelos cientistas. Esses dois métodos produziram dois tipos de interpretação relativos ao surgimento da humanidade. Constatamos também que ele preferiu o método cientifico para esclarecer a realidade social e acompanhar o desenvolvimento da humanidade, a partir do surgimento da espécie humana até a formação da nação e o aparecimento de nacionalismo.

Chamamos a atenção de que Saadeh quando preferiu usar o método cientifico em um assunto que é da especialização da ciência, nunca quis negar e ignorar a importância e a influência da religião na vida dos seres humanos, Mas ele não quis confundir entre o estudo sociológico e o estudo religioso porque cada um tem seu próprio campo e seus próprios assuntos.Se quisermos a opinião de Saadeh sobre a religião podemos encontrá-la no seu artigo que foi publicado em 1940 no jornal “nova Síria “em São Paulo- Brasil onde disse: “… Se a religião não foi capaz de fornecer as provas lógicas e mentais que podem tranqüilizar as almas das pessoas e podem oferecer respostas às questões não alcançadas pela ciência moderna, como podemos ver que os adeptos de tais religiões correrem entusiasmados para a luta e sacrifício? Disse também:                                                                     “…se os crentes não encontraram em sua religião os meios e as regras úteis que podem organizar suas vidas e atender suas cinco necessidades neste mundo antes de passarem para o outro, nunca abraçaram tal religião e ficaram agarrados a ela…“.

O método religioso que foi baseado em um contemplativo conto de fadas ou numa história especulativa imaginária, tem sua interpretação, enquanto o método cientifico tem outra interpretação, baseando-se nos passos seguintes que são: observação, pesquisa, análise empirismo, estudo, comparação, lógica, critica indagação, indução investigação e inferência e todos os meios disponíveis que poderão utilizados pelo talento do homem.

Assim, podemos descobrir o motivo que levou Saadeh a criticar e recusar a interpretação religiosa dos eclesiásticos baseada no julgamento conceitual e imaginário e, ao mesmo tempo, sem negar a religião e sua influência e sem desvirtuar o lugar da religião e seu impacto eloqüente na vida das pessoas. poder também saber a razão de preferir adotar a abordagem cientifica em sua pesquisa referente ao surgimento da espécie humana que foi baseada na investigação, estudo e analise , ficando, somente satisfeito com a critica da interpretação cientifica sem rejeitá-la, concordando com algumas explicações, registrando suas observações, oferecendo suas sugestões e apresentando seu ponto de vista e sua opinião .  Por tudo isso foi preferida a abordagem cientifica e seus métodos pelo Saadeh para estudar e pesquisar o surgimento da espécie humana que se limita aos dois processos: processo da criação e processo da evolução.

               Se dermos uma breve olhada sobre a religião, podemos concluir que a religião, de acordo com o ponto de vista de Saadeh é a tendência para tranqüilizar o ser humano que vivia preocupado diante da morte e do destino.  E, por este motivo, Saadeh expressa esse fenômeno no seu trabalho “Gênese das Nações” dizendo que o homem : começou a especular que provinha de um mundo que não o mundo em que vivemos e ao qual retornaria depois da morte de seu corpo. Essa avançada e elevada especulação imaginativa não era algo que o homem tivesse tomado consciência da mesma maneira que era conhecedor dos objetos físicos existentes na escada da ascensão do intelecto humano , precedido por diversas e estranhas teorias obscuras …” (p. 29)

Em vista do exposto acima, devemos distinguir entre a religião, que é um tipo de filosofia, e o estudo da sociedade em seu surgimento e desenvolvimento, que é uma ciência social e devemos também esclarecer a diferença entre as duas teorias: a teoria de processo da criação e a teoria de processo de desenvolvimento evolutivo ou evolução.  Antoun Saadeh era bem franco, correto, realista e objetivo quando disse : “a Gênese das Nações é um trabalho sociológico puramente cientifico, no qual eu evitei, tanto quanto possível, as interpretações, as conclusões teóricas e todas as formas de filosofia, baseando os fatos em fontes confiáveis, empenhando-me, o máximo possível, em encontrar os fatos técnicos mais recentes que iluminam trabalhos internos de manifestações sociais e previnem a passagem de julgamentos arbitrários, a partir destes “(p.26). Saadeh não negou a religião e seu papel, mas rejeitou as interpretações imaginarias fictícias que se baseiam em suposições, adivinhações e ilusões.  Procurou incentivar as mentes a abandonar os mitos e especulações, avançando, o máximo possível para adaptar a

7

 

Ciência, que respeita a realidade natural, para melhorar tanto o nível da ciência quanto o grau da religião e ampliando os horizontes dos ideais dos povos. As mentes conscientes distinguem facilmente a diferença óbvia entre um estudo baseado na meditação e adivinhação e outro estudo baseado na realidade natural, pesquisa e investigações, principalmente quando queremos formar uma opinião lógica e elaborar um conceito razoável. Os resultados, sem dívida, são diferentes e nunca a realidade se torna ilusão nem a ilusão se transforma em realidade. Saadeh acrescenta também dizendo: “0 presente estudo não possui a pretensão de levar-nos ao caminho dos estudos filosóficos / científicos.” (p.37) .

Saadeh usou em todas suas obras um método que rejeita qualquer tipo de confusão recusando toda perplexidade e dúvida, visando sempre definir as coisas da melhor maneira que pode ser, pois a definição das coisas conforme o ponto de vista de Saadeh “é uma condição essencial e necessária para esclarecer qualquer assunto ou situação , pois o esclarecimento das coisas é a situação natural que caracteriza a mente autoconsciente e lúcida que tem capacidade de chegar a entendimento melhor”.

A grave pergunta que preocupou os seres humanos e enfrentou, quase todos os cleros e cientistas, instrutores e estudantes, é seguinte: “donde e como veio o ser humano a existir ?” A resposta religiosa foi decisiva e determinante que é “o ser humano veio a existir por criação como todas as criaturas que foram criadas diretamente por Deus. A criação foi simples, direta e independente de qualquer outra espécie. Enquanto a resposta cientifica tomou outro rumo e defendeu o processo da evolução, no sentido em que se aplica às plantas,

8

 

aos animais e aos homens, é a transformação de uma espécie de vida em outra espécie. Essa teoria conforme o parecer de Saadeh “foi como o resultado de observações minuciosas e cuidadosas que não tiveram a oportunidade de serem concluídas ou completadas por investigações suficientes, até o surgimento do Darwinismo no século 19” foi alertado para esse fenômeno por IBN KHLDOUN em sua introdução como também foi referido anteriormente pelo filosofo Sírio ABU AL-ALA – ALMAARRI .

Perante as duas teorias (religiosa e cientifica) Saadeh observou que as duas escolas se divergiram “sobre os assuntos concernentes ao surgimento da vida, aos fenômenos do universo e à realidade das coisas em geral.” (p. 31) . Ele disse no seu livro: A escola cientifica descobriu que o homem era simplesmente um dos muitos seres vivos, e que o ele submetia-se às mesmas leis naturais aplicáveis a todas as criaturas vivas. assim é que, onde a vida em todas suas manifestações e aspectos é impossível, o homem não pode viver e sobreviver. como o homem é uma das manifestações da vida em geral , não é possível estudar sua origem separadamente, e então seria necessário considerar a seguinte pergunta: (de onde veio o homem ?) dentro de um contexto mais abrangente , indagar : (de onde surgiu a vida ?)

Saadeh analisou e criticou cientifica e logicamente as duas interpretações (religiosa e cientifica), mas escolheu a ciência e contrariou a interpretação religiosa porque o assunto de surgimento da vida humana necessita muitas pesquisas, análises e investigações e deve ficar longe de adivinhações, ilusões e mitos.

9

 

Se a ciência, segundo Saadeh, não podia determinar corretamente o tempo exato em que a vida começou nem a maneira na qual a evolução ocorreu, não tem sido capaz de determinar a maneira exata em que as espécies se desenvolveram nem esta apta a determinar o lugar onde a espécie humana surgiu e se desenvolveu, no entanto, isto não significa que a ciência tem sido incapaz de desvendar o mistério referente às diferenças formas de existência referente as diversas espécies. Por outro lado, Saadeh disse: as verdades e os fatos biológicos,antropológicos, químicos, geológicos, alem doutros fatos e evidencias achados pela ciência,possibilitam reconhecer,através de demonstrações lógicas e racionais , a inter-relação de todas as formas de existência na cadeia da evolução da vida.” (P. 24)

               Qual é a explicação religiosa relativa ao surgimento do homem?  Como o raciocínio religioso resumiu tal interpretação?

A resposta religiosa explicou a criação da espécie humana por uma criação independente conforme a seguinte maneira mencionada na obra de Saadeh: “o senhor Deus fez do pó da terra uma massa , formou o homem ,e soprou nesta formação um fôlego de vida. Assim Deus criou um só homem (ADAO) e então de sua costa criou uma só mulher (EVA) encarregando-se a lei do processo da procriação em explicar a circulação e o crescimento      (proliferação) dos seres humanos sobre a face da terra”.

10

 

Podemos observar que o processo de surgimento da espécie humana foi de acordo com a explicação religiosa, uma composição independente, separada de outras espécies, direta, simples, não complicada, razoável, fácil para ser entendida e não precisa muitos esforços mentais para ser compreendida. Mas se examinarmos cuidadosamente a explicação do processo citado acima, concluiremos que tal explicação não é precisamente lógica e mentalmente confiável, pois a criação é uma coisa e a composição é outra. A criação significa fazer existir um algo do nada, enquanto a composição é formar um algo de varias coisas. O conto acima referido explica que Deus misturou o pó e liquido fazendo uma massa e soprou naquela massa, um fôlego de vida. Assim foi o processo da existência do individuo masculino. Esse processo é uma composição não criação. Após a formação do individuo masculino, Deus extraiu uma costa do homem masculino e formou uma fêmea (mulher). Assim foi realizado outro processo, mas essa vez é um processo de extração e não de composição. Seguindo os dois processos de composição e extração veio a se realizar o terceiro processo que é o processo de reprodução. Assim,a reprodução humana garantiu a proliferação e crescimento dos seres humanos.  Com base nessa história, foram fundadas e espalhadas todas as interpretações religiosas e a maioria dos estudos dos cleros referentes ao surgimento da espécie humana.

                Qual é a explicação cientifica relativa ao surgimento do homem? Como o raciocínio cientifico resumiu tal interpretação?

11

 

A resposta cientifica explicou o surgimento da espécie humana por evolução, não por criação, como constatamos através da observação de Saadeh que disse: “…A escola cientifica descobriu que o homem era simplesmente um dos muitos seres vivos , e que ele submetia –se à mesmas leis naturais aplicáveis a todas as criaturas vivas . assim é que , onde a vida em todas suas manifestações e aspectos é impossível, o homem não pode viver e sobreviver. Como o homem é uma das manifestações da vida em geral , não é possível estudar sua origem separadamente , e então seria necessário considerar a seguinte pergunta :” De onde veio o homem ?”dentro de um contexto mais abrangente , indigar:” De onde surgiu a vida ?”.

Esta é a visão cientifica para explicar o aparecimento do ser humano.

Notamos aqui que a ciência não tocou no assunto de Deus Criador, nem para o processo da criação. Mas foi suficiente indicar para a fonte de surgimento do homem, isto é :“ A VIDA”,sem indicar para o Criador da vida, nem para a maneira de criação ou surgimento da VIDA se ela foi submetida ao criador ou não.  A evolução da vida, de acordo com o ponto de vista de Saadeh, originou a evolução de todos os aspectos da vida e todos os seres viventes incluindo a evolução da espécie do homem.

 

O que levou ao desenvolvimento do tipo desta espécie, portanto, foi saber quando a ciência chegou a relatar o surgimento do homem era depende da evolução, Ela não baseou sua conclusão sobre uma história ou novela transmitida através das gerações tomando o caráter de santificação nos livros de mensagens religiosas e tornou-se comum entre os povos, mas a ciência tomou outro meio que é o caminho que leva o cientista à pesquisar , olhar,

12

 

observar, examinar, discutir, testar, investigar, acompanhar e vigiar tudo o que é útil para alcançar as respostas razoáveis e mais próximas à lógica e realidade no processo de surgimento da espécie do homem. esse processo é, ainda, continua como assunto mais discutível entre os cientistas e pesquisadores e submetido a varias opiniões e teorias que são às vezes compatíveis conflitantes em outras vezes e variadas em muitos casos.

A força maior, ou Deus que fez existir a vida, não revelou seu segredo a ninguém. tanto que para os cleros quanto aos cientistas, mas ele deu ao homem o dom da mente que tem a capacidade de distinguir, agir, relembrar, imaginar, raciocinar, pensar, estudar, pesquisar, discutir, aceitar, concordar, recusar, recuar, avançar, organizar, destruir, construir, descobrir, inventar e fazer tudo que a potencial material e mental permite para chegar às respostas lógicas, razoáveis e satisfatórias. o assunto de surgimento da espécie humana ainda continua o maior assunto que desafia os pensadores, pesquisadores, cientistas, filósofos e escritores que manifestaram muitas opiniões e teorias às vezes compatíveis e coerentes e outras vezes opostas e conflitantes. Repetimos que a forca criadora não revelou o segredo da existência do mundo, nem para os cleros nem para os cientistas, como também não deu, ao homem, o dom da mente para ser paralisado perante qualquer situação ou acontecimento ou fato ou ponto de interrogação ou segredo maior, mas ele deu tal dom para utilizá-lo nesse mundo e glorificar o doador que jamais aceitara suas dádivas tornar-se paralisadas e sem valor. ele deu aquele dom, ao cientista, para estudar e analisar a natureza das coisas, ao filosofo, para refletir e meditar a fim de colocar os

13

 

valores intelectuais em seus lugares e suas posições e, ao clérigo, para orientar e guiar as pessoas em direção de praticar as belas virtudes e melhorar seus comportamentos para conviver com harmonia e paz .

Com vista do exposto, compreendemos e entendemos facilmente as palavras de Saadeh quando disse na sua sétima conferencia (página 171), no seminário cultural: “…A mente humana não existiu em vão. Não há mente humana para ser amarrada e paralisada . A mente do homem existiu para conhecer , perceber , refletir , distinguir, definir alvos , agir e reagir neste mundo … a mente do homem é a constituição superior mesma, é a lei essencial e fundamental, é o dom maior que o homem possuiu. A mente é o talento de distinção que foi dado ao homem para distinguir as coisa na vida. Se forem impostas regras para impedir o talento da distinção humana, acabar com as forcas da percepção e compreensão e anular o potencial da mente, o resultado é, sem duvida nenhuma, o desaparecimento da característica essencial do homem o que significa que ele não seja mais homem, mas ele será degenerado obviamente e evidentemente ao ponto das bestas que vivem sem mente e sem conscientização …”.

                Ele acrescenta também na mesma conferencia, página 172, o texto seguinte: “A lei de Deus desprovida de mente consciente distintivo, foi feita especificamente para objetos inanimados e animais enquanto o homem foi dado a faculdade de distinção e conscientização par lidar com seus assuntos e adaptá-los para beneficiar seus grandes interesses e propósitos na vida. Não é razoável mentalmente, então, que o próprio criador.

 

14

 

faz paralisar e acabar com a referida faculdade através de uma lei permanente, rígida e eterna…”.

Deus deu ao homem o talento da mente para usá-lo, não para abandoná-lo ou prejudicá-lo ou estragá-lo. O talento da mente incentiva o cientista a pesquisar e procurar descobrir as realidades das coisas mundanas guia o sacerdote ao verdadeiro caminho da religião que se encontra na reflexão concernente ao destino e vida eterna como Saaeh disse em sua sétima conferencia pagina 166 em 1948: ‘ O talento da mente tem que guiar o clero a fim de trabalhar com idéias religiosas filosóficas ou teológicas referentes aos segredos da alma, da eternidade, do criador e alem do material.” e a não confiar em romances falsas e hipotéticas de fantasia. Assim o filosofo IBN RUSHd disse: “Não é possível que Deus nos mentes e nos dê, ao mesmo tempo, leis que violem a essência de tais mentes”.

A conclusão que podemos tirar, através deste estudo, é que o sociólogo Antoun Saadeh era claramente um cientista em seu trabalho quando definiu sua abordagem de uma maneira que não permite qualquer tipo de duvida ou confusão considerando a ciência como abordagem clara e única para obter o conhecimento real e correto que poderá ajudar aos estudiosos a desenvolver e progredir, além de abrir imensos campos de informações, conhecimentos e experiências para descobrir os fatos de coisas misteriosas, especialmente. após a ciência tem provado como disse Saadeh: “que as várias ciências naturais têm provado que a vida é muito mais antiga do que foi alegado pela interpretação religiosa, e que as espécies, tanto da fauna como da flora, estão ligadas a uma conexão tão intima a

15

 

ponto de negar o principio da criação independente. Ademais disso, a química provou a unidade dos elementos que compõe a matéria orgânica e inorgânica (p.38) (Saadeh esta de acordo , neste ponto , com Weinart, Ursprung).

Saadeh adotou em sua pesquisa mais de um tipo de ciência, especialmente a biologia, antropologia, geologia, paleontologia, zoologia, botânica etc.(P.22/23) .

Saadeh concordou com a teoria de evolução referente ao assunto de surgimento da espécie humana, pois a evolução foi, cientificamente, provada através de varias demonstrações e como disse Saadeh no seu livroGênese da nações ‘:” Certas plantas mostraram estranha capacidade para evoluir e evoluírem, e o homem próprio também evoluiu após seu aparecimento e ter sido submetido a um grau considerável de evolução, desde a sua origem até o estágio de homem moderno, como mostra a grande diferença entre o homem moderno e o homem Heidi- Berg ou o homem Neandertal “(p. 41), enquanto a historia religiosa não tem nenhuma evidência ou prova. A história religiosa exige que o homem acredite nela como um óbvio ou auto-evidencia e não sujeito a qualquer discussão, contrariando a ciência que não reconhece a fé senão após o conhecimento. A disputa , ainda esta fervendo entre os cientistas e os cleros , e também entre os próprios cientistas em si . entre aqueles que apóiam a teoria de processo da criação e aqueles opositores que apóiam a teoria de processo da evolução . até mesmo alguns evolucionistas creiam que um criador originou o processo da evolução e a maioria deles ensina atualmente que a vida surgiu de matéria inanimada, sem qualquer intervenção divina como foi afirmado pelo evolucionista SIR JULIAN HUXLEY , no

16

 

centenário darwinismo de Chicago, em 1959 que disse que: na evolução não ha lugar para o sobrenatural. a terra e seus habitantes não foram criados, eles evoluíram.”)P.6 O homem veio a existir por evolução ou por criação). Na mesma conferência, Huxley disse aos 2500 delegados reunidos em Chicago as seguintes palavras:todos nós aceitamos o fato da evolução… A evolução da vida não é mais uma teoria. ela é um fato. É a base de todo o nosso modo de pensar”. O livro “Biology for you”, (Biologia para você) , de 1963, confirma isto dizendo :” todos os biólogos de renome concordam em que a evolução da vida na terra é um fato estabelecido .”           (Biology for you Biologia para você)

Até mesmo muitos lideres religiosos têm este conceito. O jornal de milwaukee, nos estados unidos americanos (USA), de 5 de março de 1966, noticiou que o pastor da igreja católica de ST .James fez uma firme declaração aceitando a evolução dizendo: “não há nenhuma dúvida sobre o fato da evolução” disse ele. A noticia contou que o sacerdote sublinhou a palavra “fato.    O resultado concluído por Saadeh, através de seu estudo nos anos trinta de século passado antes de muitos cientistas contemporâneos, nos mostra que o surgimento do homem veio a existir por processo da evolução que foi cientificamente provado e não há nenhuma duvida sobre tal evolução, mas, não foi provado como ocorreu o referido processo e tampouco o tempo em que ocorreu nele. Não foi provado exatamente também em que meio ambiente ocorreu. Saadeh disse, ainda, que os cientistas não concordaram como a forma da evolução aconteceu: se lenta ou súbita ou através de uma série de mudanças ou sob influencia do meio ambiente ou sem tal influencia. Saadeh deixa a resposta sobre as questões

17

 

mencionadas acima para os cientistas completarem as pesquisas e investigações no futuro e disse, na página 41 do livro de sua autoria: “a evolução da vida tem sido parcialmente provada através de varias demonstrações como a estranha capacidade de certas plantas evoluírem .” ele usou a palavra” parcial” referente à prova e não prova “total” .  ele disse também: “Não podemos determinar corretamente o tempo exato em que a vida começou , nem é possível encontrar e estabelecer evidencias , no sentido amplo da palavra , da maneira na qual a evolução ocorreu, desde o inicio da vida até o surgimento do ser humano , pelo fato de nenhum escritor estar presente na época para documentar os detalhes de um evento ou acontecimento de tanta importância e relevância . se alguém solicitasse à ciência que descrevesse a evolução de cada criatura viva exatamente como ocorreu , ele não obteria respostas satisfatórias. No entanto, a interpretação cientifica possibilita as evidências, constituindo-se em provas razoáveis de como fomos formados e como viemos a existir, cabendo ao individuo, estudioso dessas evidências, determinar se é suficiente para convencê-lo ou não”. (gênese p. 40)

Algumas pessoas imaginam e acreditam que o sociólogo sírio Antoun Saadeh concorda completamente com a opinião de Wiliam Darwin e outros cientistas evolucionistas que acham que a evolução ocorreu da seguinte forma: de objetos inanimados, às plantas, aos animais, e ao homem, mas podemos dizer que a referida suposição é completamente não esta correta. É verdade que Saadeh concordou com aqueles que acreditam no processo da evolução, ele também disse que o homem veio a existir por evolução que foi cientificamente

18

 

provada com prova parcial , mas Saadeh mesmo disse que se queremos saber de onde veio o homem, precisamos ainda saber de onde veio a vida porque o homem é uma das manifestações da vida . O homem é semelhante às outras manifestações da vida como plantas e animais que são também dois aspectos de tais manifestações e cada uma destas espécies tem sua própria evolução , mesmo se aparecer à muitos queo fim do horizonte de alguns , estava pronto a se tornar o começo da orbita de outros” (gênese p. 34) . o ponto comum mais importante ou o denominador comum , entre os aspectos da vida ou as varias espécies, é que todas estas espécies são criaturas vivas ou viventes Conseqüentemente, é necessário que estas espécies sejam semelhantes em algumas características. Podemos também constatar que há semelhanças mais notáveis entre umas espécies do que em outras.

 

No principio era a vida e sem a existência de vida não existia nada de aspecto ou espécies viventes.  Na verdade há correlações entre as espécies e todas as provas cientificas afirmam as ligações e correlações entre os organismos vivos como disse Saadeh: ‘a ciência tem sido capaz de fornecer evidências convincentes de que as numerosas espécies que ocupam o mundo são variedades da mesma vida em geral, compostos dos mesmos elementos primários que se estendem a uma serie de processos evolucionários, cujo inicio esta escondido em uma serie de mudanças geológicas. (p. 40 árabe 24) .

Mas, as correlações supra citadas não significam de nenhuma maneira que o ser humano era um macaco antes de se tornar homem e todos os cientista que afirmaram que a espécie humana é descendente da espécie de macacos se encontraram com

19

 

aqueles cleros que basearam suas interpretações sobre um fictício romance não confiável. Assim, podemos concluir que tais cientistas abraçaram um método semelhante ao método dos religiosos e inventaram outra historieta imaginativa parecida com a historieta ilusória da criação de ADÃO e EVA. Cremos e afirmamos que o Criador do universo e todas as espécies de vida não deu o segredo da existência para ninguém e afirmamos, também, que nenhuma pessoa conseguiu descobrir os segredos do universo, da existência e da vida até nosso tempo. O sociólogo sírio Antoun Saadeh disse claramente no seu livro a respeito do surgimento do homem o seguinte: “…há teorias divergentes quanto à evolução do ser humano, ou seja , se começou ela a partir do estado símio, o qual estava a um passo em direção ao seu desenvolvimento progressivo ou se o símio era um produto inferior surgido durante a evolução que resultou a humanidade. Porem, no que concerne a essas teorias, não há dúvida de que o homem, a partir do ponto de vista estatístico, se insere em uma categoria de animais gregários, ou aquelas espécies de animais cujos membros vivem em grupos.” (gênese p. 89).     

Aqui, deve-se notar e destacar a fraseestado de símio”, se for algum grau de progresso ou um caso de degeneração porque o significado da frase é um estado situado entre duas fases que são: decadência e desenvolvimento progressivo. e isso não significa que o homem se destina a tornar-se macaco quando se degenere, ou o macaco poderá se transformar em homem quando se desenvolva, o homem e o macaco são duas espécies

 

20

 

diferentes da vida , mas correlacionadas entre si , tais como plantas , animais e insetos . Saadeh alertou para isso dizendo : “Se o homem se insere estaticamente em uma categoria de animais gregários ,isto não significa dizer,de modo algum, que exista entre ele, os animais e os insetos uma relação ou parentesco social que permita a formação de um critério ou regra geral a eles aplicáveis, como alguns escritores de sociologia e outros havian pensado e continuam pensando . “(gênese p. 91) Isto o que chamou a atenção do professor acadêmico de pós-graduação da universidade federal do Brasil Dr. Luis Fernando Lopes Pereira que escreveu sobre o livro “Gênese das nações” em sua analise o seguinte : “Aqui Saadeh busca uma diferenciação que marca sua obra, entre o mundo dos animais e o mundo humano Na relação com o meio físico, tal diferença seria nas palavras dele marcante, afinal os animais tenderiam a satisfazer suas necessidades de forma direta e os homens indiretamente,usando ferramentas estas cada vez mais sofisticadas .”

 

Chegamos através do estudo de “Gênese das Nações“ a uma conclusão: Saadeh rejeitou a interpretação de criação independente, direta e simples dos clérigos que foi baseado num romance imaginativo de um lado e criticou a interpretação dos cientistas aceitando o processo de criação por evolução e não aceitando o termo de surgimento humano como descendentes do tipo de macacos. De outro lado, Saadeh afirma que não existe uma relação de parentesco entre o homem,

21

 

animais e insetos, mas parece que todos os tipos de homem, plantas, animais, insetos, macacos … são inter-relacionados uns com os outros por serem aspectos ou manifestações de vida, uma vez que ha. vida até a origem de todos os organismos vivos.

Assim podemos concluir que a espécie humana veio a existir por processo de evolução como todas as outras espécies e não como individuo independente como foi contado pela história religiosa, nem como descendente dos macacos como foi imaginado por muitos cientistas.   Os diferentes tipos de organismos viventes ou as diferentes espécies vivas tem uma origem que reside na própria vida surgida no planeta Terra, é isso que foi observado pelo filósofo Gibran Khalil Gibran quando asseverou: “Vossos filhos não são vossos filhos. Eles são os filhos e filhas da vida que é apaixonada por si mesma”.  

Com relação à independente do ser humano , nos achamos que como existe um tipo de independência individual limitada ,existe também a vida associada aos outros a fim de trabalhar todos os indivíduos juntos, como potencias ou eficácias ou energias em acordo e harmonia para uma finalidade publica comum. Assim também , podemos explicar que cada espécie natural alem de ter sua própria independência , ela tem sua vida associada a outras espécies plantas, animais , insetos , peixes , macacos, aves etc. …) , a fim de conviver todas essas espécies juntas em perfeita convivência para uma finalidade comum que ela é ainda desconhecida . Apesar de que todas estas espécies são manifestações da vida , Saadeh não esqueceu de esclarecer as

22

 

diferenças básicas biológicas , sociais e intelectuais entre o mundo humano e o mundo animal como podemos encontrar nos textos que seguem : “Se o homem esta de acordo com todos os animais e organismos vivos devido ao princípio da preservação das espécies e do cuidado dos filhotes , as circunstâncias ou a aplicação deste principio pelo homem difere daquelas aplicadas pelos animais“ (gênese p. 93)

Deixando de lado o aspecto biológico e prosseguindo sómente no que toca às diferenças sociais, encontramos na sociedade humana duas manifestações que não se encontram em outros agrupamentos: a primeira manifestação é a aptidão do individuo em ver surgir e desenvolver a sua própria personalidade; a segunda é a capacidade da comunidade em adquirir sua própria personalidade, a partir de suas qualificações particulares e das características de seu meio ambiente. Estas duas manifestações básicas que distinguem fortemente a sociedade humana por suas características, não existem no mundo dos insetos e dos animais inferiores, nem no dos animais superiores do mundo.” (gênese p. 98). “No entanto, há diferença básica primaria, a qual adota ações humanas e sociabilidade humana com a qualidade independente invalidando toda comparação social entre o homem e o animal, cuja diferença reside no aspecto do pensamento que é muito importante para a vida e a sociedade humana….” (gênese p. 99)

 

23

 

O fato é que não há justificativa para atribuir manifestações no mundo animalesco como algo equivalente às manifestações no mundo humano, encontrando uma conexão entre os dois mundos através de várias semelhanças gerais e aparentes, e tomando aquilo como uma base para explicá-los ou discuti-los em respeito ao homem, como se discutisse alguma coisa biologicamente evidente. A aplicação dos exemplos sociais do animal para o homem deveria ser revertida (gênese p. 101) adequadamente, isto é, dizer do homem para o animal. De certo, há muitas manifestações no mundo social dos animais que, de alguma forma, lembram manifestações na vida social humana, quão satisfeitos e convencidos estamos quando afirmamos: “Isso é observado nos animais também?.”Qual é o valor do nosso contexto social, nossa cultura etc., se a nossa vida social não é nada além de uma aplicação dos exemplos tirados do mundo animal ?” (gênese p. 102)

Tornou-se claro , estão , que o ser humano veio a existir por evolução como uma espécie e desenvolveu como qualquer outra espécie e não surgiu como individuo independente com foi citado pelo conto religioso, nem também existiu como criação descendente da espécie dos macacos conforme imaginado por muitos cientistas . Os diferentes tipos de organismos viventes ou as diferentes espécies vivas tem uma origem que se reside na própria vida surgida no planeta terra , é isso que foi observado pelo filosofo

24

 

Gibran Khalil Gibran quando preconizou: “Vossos filhos não são vossos filhos. Eles são os filhos e filhas da vida que é apaixonada por si mesma”.

 

Ao estudar e analisar o livro “Gênese das Nações“ de Saadeh, concluímos que ele criticou e rejeitou a interpretação religiosa feita pelos clérigos e baseou-se em uma narração imaginativa romântica que afirma que o homem foi criado diretamente de uma maneira simples e independente ou isolado de qualquer outra espécie. Também criticou a interpretação cientifica feita pelos cientistas aceitando a abordagem cientifica em termos de surgimento da espécie humana por processo da evolução e não concordando ou aprovando que o homem é descendente da espécie de macacos, pois achava que não há relação de parentesco entre os homens e os macacos apesar de certas semelhanças encontradas entre os dois tipos como citamos acima. Afirmamos, de novo, que não há relação de parentesco entre homens, animais e insetos, e tudo que podemos confirmar é que todas as espécies vivas: homens, plantas, animais, insetos, macacos, peixes e aves são interligados uns aos outros por serem manifestações ou aspectos da vida, e que a vida é a origem de todos os organismos vivos .

Assim podemos concluir que o ser humano ou o tipo humano foi surgido por processo de evolução como espécie e não como individuo independente conforme a narração da historia religiosa nem também por descendência da espécie de macacos como foi imaginado pelos muitos cientistas. tal

25

 

surgimento foi ocorrido da mesma maneira como foram originadas todas as outras espécies .                                        As diferentes espécies são , na realidade , resultados de vários processos evolutivos que surgiram na terra . portanto , se queremos saber de onde veio a existir a vida , temos de saber como foi surgida a vida . por conseqüente , se queremos descobrir de onde surgiu a vida , devemos , ao mesmo tempo , procurar descobrir de onde e como se formou a terra . conseqüentemente, se desejamos descobrir como se formou o planeta terra , nos temos uma tarefa maior , isto é , temos de conhecer de onde e como surgiu o processo do sistema solar. para chegar a descobrir o sistema solar ,devemos ,também , descobrir os sistemas mais grandes e ainda os sistemas maiores até descobrir a causa principal infinitamente longe que originou o universo infinito . isto é , o criador auto-existente , onipotente , onisciente , que seu poder abrange tudo e sua grandeza nunca poderá ser alcançada por alguém por mais que seja forte o talento de tal alguém , porque O Deus criador o senhor dos mundos é a sublimidade maior e infinita que jamais poderá ser tocada por ser finito . essa é a verdadeira sublimidade , que cada vez nos imaginamos que tornamos próximos para alcançá-la , descobrimos, de repente, que tudo que conseguimos não é mais do que uma gota de água num oceano , e ficamos mais surpresos com segredos ocultos que nunca foram imaginados . mas tudo isso , não significa que temos de ficar desesperados e paralisados diante dos segredos misteriosos da vida , da existência e do universo porque a sublimidade criadora mesma programou-nos e deu-nos o potencial da mente que é um raio,

26

 

surgido daquela sublimidade criadora, e o referido raio está em funcionamento permanente através do desenvolvimento das gerações uma após outra no tempo e no espaço .

o resultado que podemos alcançar sobre o surgimento do homem após a leitura e analise do” Gênese das Nações “da autoria do sociólogo Sírio Antoun Saadeh é que o homem não surgiu como individuo independente por processo de criação direto e simples como foi contado pelos clérigos , nem surgiu também por processo de evolução como descendente de macacos como foi imaginado por vários cientistas , mas o homem surgiu por processo de evolução como uma espécie viva originada da vida e semelhante à todos os aspectos desenvolvidos da vida . o referido resultado científico afirmado pelo Saadeh como sociólogo está completamente de acordo com a visão filosóficas de Saadeh como filosofo que afirma que nenhuma coisa poderá surgir de nada e que disse também no seu livro “a luta intelectual na literatura Síria” o seguinte : “Mas, nos imaginamos, de acordo com o principio filosófico do desenvolvimento, regularidade e continuidade da vida, o que coloco na minha mente para compreender a realidade da existência humana, que deve haver uma relação ou contato mais próximo e firme com a nossa nova visão referente aos fatos, questões e temas de tal visão. Como se vê, também sob esse ponto de vista, que o mundo da visão mencionada não é algo surgido por acaso sem origem, mas é um algo improvável surgir sem origem, substancialmente essencial relacionada aos fatos novos . Assim, podemos concluir que os

27

 

novos fatos foram emancipados dos fatos originais antigos através de uma nova compreensão da vida e suas causas, do universo e suas possibilidades e da arte e suas metas .

Após disso, descobrimos que Saadeh, além de ser um grande sociólogo, é também um grande filósofo, mas, a visão filosófica de Saadeh tem a ciência como base, e a ciência começa a partir do entendimento da realidade e dos fatos espírito- materiais ou matéria-espiritual (MADRAHIAH*) que são a origem da evolução, desenvolvimento e progresso da humanidade.

Youssef Mousmar

 

Curitiba 08/ 07 / 2012

 

*- Observação: a palavra “MADRAHIAH” é um termo filosófico árabe inventado por Saadeh que significa a unicidade da vida dos dois tipos de aspectos vitais (materiais e espirituais) que formam um equilibro harmonioso humano começando a partir do surgimento da espécie humana e acompanhando-a em todos os estágios de desenvolvimento e avanço, e confirmando que não há manifestações humanas espirituais sem serem materiais, mas as manifestações humanas materiais são, ao mesmo tempo espirituais que são também, ao mesmo tempo materiais. Podemos constatar que Antoun Saadeh, além de ser sociólogo,, é um filosofo e sua filosofia é baseada na ciência que estuda a realidade da existência humana, a partir do surgimento da espécie do homem, acompanhando tal realidade em todas as fases do desenvolvimento, visando criar uma boa nova vida nacionalista –social, não somente para a nação Síria de Saadeh, mas para todas as nações em geral a fim de viverem, desenvolverem, avançarem e progredirem em harmonia perfeita e solidariezarem-se firmemente e com paz total. Assim nasce o senso humano nas nações, surge nelas a consciência mundial e forma-se a mente global que pode enfrentar os fatos do nosso universo, descobrir o máximo possível de suas leis e seus segredos, e realizar para toda humanidade os mais belos e altos ideais .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *